foto: Jorge Coelho Ferreira

POEMAS DE NAMIBIANO FERREIRA

POEMAS DE NAMIBIANO FERREIRA
Click na imagem!

15 de maio de 2014

CANTIGA NA TARDE




Depois, pouco-pouco, os pingos de chuva começaram a cair nem cinco minutos que passaram todo o musseque cantava a cantiga d’água nos zincos, (...)

Luandino Vieira - Luuanda



(Para a Domingas e o Francisco)


A tarde,
vibrando calor e suor
desceu sobre a cidade
e vieram gotas
líquidas de cristal
acordar cheiros e sons...
Sobre um telhado qualquer
a prata tamborilava
uma velha melodia
e um raio de nada
despertou
recordações e lembranças:

–Cantigas tamborilando em telhados de zinco.


Namibiano Ferreira

1 comentário:

António Eduardo Lico disse...

Uma bela poesia.
Abraços.