foto: Jorge Coelho Ferreira

POEMAS DE NAMIBIANO FERREIRA

POEMAS DE NAMIBIANO FERREIRA
Click na imagem!

21 de março de 2014

PARA O DIA MUNDIAL DA POESIA: DISCURSO NO PARLAMENTO

Assembleia Nacional de Angola - Luanda


DISCURSO NO PARLAMENTO

Um dia, encho-me de coragem
E vou mesmo discursar no parlamento
Confesso que fiz juramento
De ir a pé até lá
De entrar naquela sala,
Para discursar a minha mensagem

Um dia, apareço nas câmaras da televisão
Verdade mesmo, não é ilusão
Apareço com o meu rosto maltratado
Com o meu rosto de drogado
Para pedir um ponto de ordem
Aos senhores deputados,
Eu mesmo que vivo do outro lado da margem

Ja sei que vão olhar com indignação
Para os meus pés descalços
Para os meus calções rotos
E para os meus magritos braços
Já consigo imaginar os vosso rostos
De indignação e estupefacção

Mas mesmo assim eu vou mesmo discursar
Em plena assembleia nacional
Assim mesmo, com este meu visual
De menino de rua votado ao abandono
De menino de rua cão sem dono
Eu vou à assembleia nacional falar

Assim mesmo, sem convite
E sem ser chamado
Eu, que não sei falar português de escola
Vou entrar naquela sala
Para falar com os senhores deputados
Eu vou lá sem convite, acredite!

E antes de me porem andar à paulada
Antes de me mandarem calar à porrada
Vou rasgar o meu peito
Para vocês escutarem o grito
De tanto sofrimento vivido
De tanto sofrimento bebido

E enquanto estiver a ser arrastado
Para fora da assembleia nacional
Eu, menino de rua cão sem dono e drogado
Eu, menino de rua marginal
Ainda terei coragem
Ainda serei capaz
De trovejar a minha mensagem:
POR FAVOR, PÃO, TECTO E PAZ!

Não levem a mal
Mas eu vou mesmo discursar em plena assembleia nacional!


Décio Bettencourt Mateus

in "A Fúria do Mar" 

5 comentários:

cirandeira disse...

Que poema maravilhoso!
Seria ótimo que todos os meninos de rua invadissem todos os parlamentos do mundo com o seu grito de revolta e indignação!
PARABÉNS pelo poema, Décio!
Obrigada pela partilha, Nambi

Kandandu

P.S.: Obrigada pela visita e pelo comentário, o poema que leste no 'cirandeira' é de minha autoria

António Eduardo Lico disse...

Uma bela poesia para o dia da poesia.
Bom fim de semana.

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Concordo com voces.
Um belo poema para o dia da Poesia.

Kandandu

ReltiH disse...

MAGISTRAL!!!!! POESÍA MARAVILLOSAMENTE REAL.
UN ABRAZO

DECIO BETTENCOURT MATEUS disse...

Mano, obrigado por me recordares o Discurso no Parlamento. Obrigado pela gentileza, assim como a dos que leram e comentaram.

Um kandandu.