foto: Jorge Coelho Ferreira

POEMAS DE NAMIBIANO FERREIRA

POEMAS DE NAMIBIANO FERREIRA
Click na imagem!

18 de dezembro de 2014

POEMA DE JOFRE ROCHA



    VEM, DESESPERO


Vem, desespero
mata em minhas veias o brilho desta lua
a enfeitar com simulacros de prata
a miséria de vidas sem destino.

vem, desespero
gela nas bocas o murmúrio de conformismo
esse ópio de vontades
a sabotar a flor única de esperança
na planície dos homens de rastos.

vem, oh! vem desespero,
e cria nos homens o ímpeto dos tornados.


Jofre Rocha




1 comentário:

Toninho disse...

O desespero é como uma fera acuada.
Mas que o poema ficou belo nesta dor.
Abraços