foto: Jorge Coelho Ferreira

POEMAS DE NAMIBIANO FERREIRA

POEMAS DE NAMIBIANO FERREIRA
Click na imagem!

24 de abril de 2014

A BELEZA DAS MULHERES OVAKUVALE E UM POEMA

Dedico esta postagem ao Fernado Ribeiro


Os ovakuvale são um subgrupo da etnia Herero, do qual compreendem, em Angola, os ovakuvale (mucubais ou kuvales), os ovahimba (himbas) e os ovadimba (dimbas). O seu idioma é o tchiherero, que é falado por todos eles com algumas variações. São povos semionómadas, agropastoris, mas esencialmente pastores, a agricultura é pouco praticada e, em alguns casos, muito precária. 
Na minha opinião, as mulheres ovakuvale, são de uma beleza arrebatadora. Seguem algumas fotos e um poema.



Foto: autor desconhecido.



Foto:  Luca Gargano




ADULTERANDO ÁLVARO DE CAMPOS

Uma mulher Mukubal e tão bela como a Vénus de Milo
o que há é pouca gente para dar por isso.
Depois de onze girassóis florindo Novembro
ainda há pouca gente para dar por isso
e uma mulher Mukubal é mais bela que a Vénus de Milo.

ÓOOO - ÓOOOOOO - ÓOOOOOOOOOOOOOOO

(o vento no deserto.)


Namibiano Ferreira
In Resist(ir) Assim - Poesia a Doze

Editorial Minerva



Foto: Luca Gargano 




Foto: Alfred Weidinger



NOTA:

1- O chapéu que estas senhoras ovakuvale, trazem à cabeça chama-se erembe.

2- Por vezes escrevo mucubal, usando o plural mucubais, isto é a designação portuguesa ou aportuguesada. Em tchiherero, a raiz do nome é -kuvale, no singular usa-se omukuvale (daí deu em português a palavra mucubal, sendo o plural ovakuvale. Segue-se a mesma regra para os himbas: omuhimba – ovahimba e para os dimbas: omudimba – ovadimba. Para quem não sabe, as línguas bantas fazem os plurais no início das palavras e dividem-se em classes nominais, com seus respectivos prefixos para singular e plural. Este sistema de prefixação também se aplica aos verbos, adjectivos, numerais e pronomes.

4 comentários:

António Eduardo Lico disse...

Mulheres assim tão belas merecem toda a Poesia.
Abraço.

Fernando Ribeiro disse...

Muito obrigado pela dedicatória e também pela referência ao meu blog na outra postagem. Não precisava de se dar ao trabalho. Fiquei sem jeito.

Toninho disse...

Há a beleza negra que sua poesia traduz, uma beleza muitas vezes ignorada ou vista com outros olhos, que a ofusca.
Aqui belos exemplares de como esta beleza se faz presente.
Bom ir aprendendo vocabulos em sua pagina.
Somos um poço de historia.

NAMIBIANO FERREIRA disse...

António, a beleza das mulheres, em qualquer latitude, merece milhares de poemas.

Fernando, nao precisa ficar sem jeito, eu sei o quanto voce gosta destas coiosas angolanas.

Toninho, obrigado pelas suas palavras, gosto das suas visitas.

Obrigado a todos.