foto: Jorge Coelho Ferreira

POEMAS DE NAMIBIANO FERREIRA

POEMAS DE NAMIBIANO FERREIRA
Click na imagem!

17 de novembro de 2009

UMA LENDA TCHOKWÉ - Nordeste de Angola -

Tela de Eleutério Sanches (Angola)

Um dia o Sol foi visitar Deus. Deus ofereceu ao Sol uma galinha e disse-lhe: “Regressa de manhã antes de te ires embora”. De manhã a galinha cacarejou e acordou o Sol. Quando o Sol revisitou Deus, ele disse-lhe: “Não comeste a galinha que te dei para o jantar. Podes então ficar com a galinha mas deves regressar aqui todos os dias.” Daí a razão porque o Sol circula a terra e nasce todas as manhãs.

A Lua também foi um dia visitar Deus e também recebeu uma galinha como presente. De manhã a galinha cacarejou e acordou a Lua e Deus voltou a dizer-lhe: “Não comeste a galinha que te dei para o jantar. Podes então ficar com a galinha mas deves regressar aqui em cada vinte e oito dias.” Daí a razão porque a circulação total da Lua dura vinte e oito dias.

Um homem foi visitar Deus recebendo também uma galinha como presente mas o homem estava com fome depois de tão longa caminhada e comeu parte da galinha para o jantar. Na próxima manhã já o Sol estava bem alto quando o homem acordou. Comeu o resto da galinha, visitando Deus em seguida. Deus disse-lhe: “eu não ouvi a galinha cacarejar esta manhã.” O homem com certo receio respondeu: “eu tive fome e comi-a.” “Está bem,” disse Deus, “mas ouve, tu sabes que o Sol e a Lua estiveram aqui e nenhum deles matou a galinha que lhes ofereci.” Essa é a razão que nem o Sol nem a Lua morrerão um dia. Mas tu mataste a tua galinha e assim deves morrer como ela. Porém, à tua morte, deves regressar aqui outra vez.”

E assim foi.

Máscara Tchokwé

8 comentários:

Meg disse...

Nami,

Na verdade uma lenda bem curiosa.
Tudo tem uma explicação, será?
E bonita também a máscara.
Eu perco-me por aqui...
Deixo-te um convite...
http://meg-experimental.blogspot.com/

Espero que gostes

Um abraço

nina rizzi disse...

namibiano,

muito bonita a lenda, como todas aquelas de orixás e eguns. gostei também da tela, da máscara e das cores da postagem abaixo, vc tem razão, um achado.

esse batuque me faz querer dançar...

um beijo.

xistosa - (josé torres) disse...

Caríssimo.
Ainda bem que é uma lenda.
É que já comi algumas, (muitas?) galinhas.
Será que não vou morrer?
Costumo dizer que sou eterno.
Até agora ninguém me pode contrariar.

Um abração.

GRAÇA GRAÚNA disse...

Meu amigo Nambiano: uma lenda é sempre cercada de encantamento. Seu texto é muito rico de significações e a mascara parece tecida também de beleza e mistérios. Paz e bem, Graça Grauna

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Meg, talvez lenda nao seja a palavra mais correcta. Deveria chamar-lhe, antes, um mito. Afinal é disso que se trata.
Talvez mude o título...
Kandandu

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Nina, é de facto uma bonita explicacao para se entendenrem as coisas.
Kandandu

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Xistosa, meu caro, entao voce já comeu bué de galinhas e nao quer morrer?? Bem mas é verdade somos eternos, o nosso verdadeiro EU é eterno.
Kandandu

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Graça, como já referi deveria ter chamado de Mito em vez de lenda... mas concerteza que existe um encantamento. Toodos estes tipos de estórias sao maravilhosas seja em que latitude for.
Kandandu