foto: Jorge Coelho Ferreira

POEMAS DE NAMIBIANO FERREIRA

POEMAS DE NAMIBIANO FERREIRA
Click na imagem!

5 de setembro de 2008

MIRANGOLANDO

            
Mirangolos - Foto de Bembe                                                                                    


 Para Dinah

Mirangolando o rio nos olhos
perfumados do rolar dos mirangolos
tu és o rio onde me deito,
estrada que vem do oriente
correndo deleitosa para o mar.
Mais do que estrada, pareces um sol,
um sol fluídico a bailar Namibe
nascendo no lado do deserto
e, correndo, vem deitar-se prazeroso
na baía marulhar de minha infância
despertando a manta dos mirangolos
chovendo como pérolas de azeviche
sobre o leito rio promissor a passar
e onde me deito dongo flutuando
no rio manso, balanço de teu corpo
ximbicando o dongo sem o canto
me dizer se sou dongo, barqueiro
ou o próprio rio do teu corpo
mirangolando nas águas onde boiam
mirangolos pérolas e desejos
ansiados no cacimbo-néctar de teus beijos.






Namibiano Ferreira

King’s Lynn, 05/09/08
Mirangolos – fruto angolano de cor negra, parecendo cerejas.
Dongo – canoa, piroga.
Ximbicando – do verbo ximbicar, remar à vara.



3 comentários:

Meg disse...

Caro Namibiano

Parabéns por mais este belíssimo poema de amor. Abençoada Musa tão cantado nos seus versos.
Pena só perder-me ainda em algumas palavras já esquecidas, mas o essencial fica bem entranhado.
Um grande abraço

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Querida Meg,
Obrigado pelas suas palvras sempre tao amigas e encorajadoras...
Tento sempre fazer uma traducao das palavras angolanas no final dos poemas, embora por vezes me esqueca!!!
Grande abraco minha querida amiga.

xistosa - (josé torres) disse...

Fiz-lhe mais um roubo.

Não tenho aparecido.
Agora que estou reformado há 12 anos é que me apareceu mais trabalho.
Estou a pensar em suspender o blog, "ucometa"
Como gosto de vir aqui, hoje roubo-lhe isto.

Cumprimentos, extensíveis à esposa.
Ela que não me leve a mal, mas hoje, pode verificar, que a minha visita, "Mello", também me queria distinguir e não posso aceitar o que não mereço.

Um abração.