foto: Jorge Coelho Ferreira

POEMAS DE NAMIBIANO FERREIRA

POEMAS DE NAMIBIANO FERREIRA
Click na imagem!

10 de março de 2015

O CERCADO

Dedico esta postagem ao Fernando Ribeiro, um poema de Ana Paula Tavares, uma poética que ele muito aprecia.





De que cor era o meu cinto de missangas, mãe
feito pelas tuas mãos
e fios do teu cabelo
cortado na lua cheia
guardado do cacimbo
no cesto trançado das coisas da avó

Onde está a panela do provérbio, mãe
a das três pernas
e asa partida
que me deste antes das chuvas grandes
no dia do noivado

De que cor era a minha voz, mãe
quando anunciava a manhã junto à cascata
e descia devagarinho pelos dias

Onde está o tempo prometido p'ra viver, mãe
se tudo se guarda e recolhe no tempo da espera
p'ra lá do cercado



Ana Paula Tavares  

2 comentários:

Fernando Ribeiro disse...

Aprecio, sim, amigo Namibiano. Obrigado pela dedicatória.

Além de ser uma excelente poetisa, Ana Paula Tavares identifica-se profundamente com o seu povo e a sua cultura, à semelhança do meu amigo.

Acho curiosa a referência no poema à "panela do provérbio", que é uma tradição de que praticamente ninguém fala. É uma panela cuja tampa tem modelada (no caso de a tampa ser de barro) ou esculpida (no caso de ser de madeira) uma representação pictórica de um provérbio.

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Ainda bem que gostou. E Obrigado pela parte que me toca.