foto: Jorge Coelho Ferreira

POEMAS DE NAMIBIANO FERREIRA

POEMAS DE NAMIBIANO FERREIRA
Click na imagem!

20 de maio de 2013

POEMA DE ALEXANDRE DÁSKALOS NA VOZ DE FAUSTO





Quando eu morrer...

Quando eu morrer
não me dêem rosas
mas ventos.
Quero as ânsias do mar
quero beber a espuma branca
duma onda a quebrar
e vogar.
Ah, a rosa dos ventos
a correrem na ponta dos meus dedos
a correrem, a correrem sem parar.
Onda sobre onda infinita como o mar
como o mar inquieto
num jeito
de nunca mais parar.
Por isso eu quero o mar.
Morrer, ficar quieto,
não.
Oh, sentir sempre no peito
o tumulto do mundo
da vida e de mim.
E eu e o mundo.
E a vida. Oh mar,
o meu coração
fica para ti.
Para ter a ilusão
de nunca mais parar.

Alexandre Dáskalos (nasceu no Huambo)

2 comentários:

António Eduardo Lico disse...

Bela poesia e bela música. Aliás o Fausto também musicou o Namoro do Viriato da Cruz.
Boa semana.
Abraço.

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Sim, com toda a razao, creio que o primeiro a gravar em disco foi o Sérgio Godinho. A versao que publiquei do Namoro, é cantada por Ruy Mingas.

Kandandu