foto: Jorge Coelho Ferreira

POEMAS DE NAMIBIANO FERREIRA

POEMAS DE NAMIBIANO FERREIRA
Click na imagem!

24 de agosto de 2009

BENGUELANDO


Otchingandji (Tela de Arlete Marques)


O que lembro de Benguela? Nada, mesmo nada! Uma ténue imagem: Kamunda!
Cabras, creio, pastando ou simplesmente vagueando. Mulheres negras puxando barris cheios de água, com o líquido batendo lá dentro a lembrar o enorme estômago de um Omakisi.
Os ritmos de otchingandji e nesse tempo se dizia era xingães.
Esta ténue imagem será lembrança real, lembraça lembrada ou colagem iconográfica de outros muitas lembranças?
Deus, de que são feitas as lembranças? Na Kamunda, eu era tão candengue mesmo.


Namibiano Ferreira


Omakisi – monstro
Kamunda - arredores de Benguela
Otchigandji – termo genérico para designar a máscara (Ocinganji – idioma umbundu). A população maioritária do planalto central é Ovimbundu, cujos ritos de iniciação masculina, evamba, envolvem as acções dos Ocinganji, respeitados e venerados pela comunidade. Como noutros povos que usam as máscaras, entre os Ovimbundu também proíbem a revelação dos segredos do mundo das máscaras às mulheres e aos não circuncidados, nem aproximar-se delas, pois podem eventualmente descobrir a voz da pessoa mascarada.
Candengue - crianca

4 comentários:

Janaina Amado disse...

As lembranças, como estas suas, são feitas de sentimentos.

xistosa - (josé torres) disse...

Ainda sinto os cheiros do mercado e a paisagem da marginal sem fim ...
Parece-me que havia uma pérgola que me recordava o meu Porto.

Uma boa semana.

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Janaina, muito obrigado, sempre tao gentil.
Kandandu

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Amigo Xistosa,
Como vai a saude?
Pois, Benguela terra de muitos encantos...
Kandandu