foto: Jorge Coelho Ferreira

POEMAS DE NAMIBIANO FERREIRA

POEMAS DE NAMIBIANO FERREIRA
Click na imagem!

29 de janeiro de 2008

LEOPARDO























na noite
do leopardo
só se vê os olhos

A. Barbeitos


A noite da escuridão
tem os olhos do leopardo
faiscando diamantes.
Leopardo: fere o meu coração;
aguça os meus sentidos;
crava, usa tuas garras;

não deixes o sal
arrefecer o sangue da poesia;
não deixes a rocha
tecer o casulo da ignorância;
não deixes o cacimbo
cristalizar a alma do poeta.

Viverei eu, assim, eternamente cantando
estes e outros versos insanos e selvagens
torcidando meus sentidos,
dispersando a alma nos teus olhos leopardo,
no fulgor suave das noites
e na fúria brava das calemas.




Namibiano Ferreira

6 comentários:

Bruno Bertacini disse...

muito bom o seu blogue, gostei e irei divulgá-lo para os meus amigos do Brasil.
abraço!

xistosa disse...

"não deixes o sal
arrefecer o sangue da poesia;"

Qual o porquê de "sal" entrar nos seus poemas ?

Eu sou capaz de saber a razão, mas gostava de saber a sua.

Rosita de Palma disse...

Gostei deste poema e da foto do "Leozinho".

Novo look, para Poesia angolana.

Grandioso imbondeiro, que com sua sombra nos consola quando o sol imperdoavelmente queima-nos não só a pele, mas a alma,sua majestade nos impressiona, sua raridade nos emociona e seus frutos nos refrescam ( É verdade o sumo de múcua é saborosíssimo). Eu amo inbonderos tenho uma foto muito linda tirada ha 2 anos na Barra da Kwanza...uma beleza.

Rosa Muhongo.

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Rosa, tambem eu fico fascinado pela beleza do imbondeiro... algo de sagrado e mistico rodeia a existencia desta arvore!!!Tenho algumas poesias que falam sobre eles e as suas mucuas.
Kandandu

ELCAlmeida disse...

Roubei!
Um abraço aqui do Sul
kandandu
Eugénio Almeida

São Pernadas disse...

Caríssimo Namibiano Ferreira:
Sou igualmente angolana, do Lobito e estou a preparar uma exposição/livro de fotografia sobre Angola. Algumas das fotografias terão um suporte escrito, sobretudo poemas. Para este efeito venho solicitar-lhe autorização para inserir o seu poema MÚCUAS para ilustrar as minhas fotos dos imbondeiros e múcuas.
Aproveito para felicitá-lo pelo seu trabalho.
Fico a aguardar a sua resposta.
Ao dispor.
Maria Pernadas (opandulanet@gmail.com)