foto: Jorge Coelho Ferreira

POEMAS DE NAMIBIANO FERREIRA

POEMAS DE NAMIBIANO FERREIRA
Click na imagem!

13 de outubro de 2005

TERRA BENSUADA


Imbondeiro



A manta rota dos Deuses
cobriu o sol
e a terra
mais sagrada
tombou na suprema escuridão.

Horizontes roxos pairam no ar
há mortos, perdidos, ausentes
e a terra chora baixinho.

Ao luar, caju dorido,
ressoa manso o tambor
amordaçado pelo truar dos canhões,
bazucas, murteiros, obuses.

A manta rota dos Deuses
cobriu o sol
e a terra
mais sagrada
chora só e baixinho
morte, agonia, tormento.

-Que Deus fadou o teu Destino
oh terra bensuada
exangue, exausta em sangue?

-Que Deus fadou o teu Destino
oh terra bensuada
queimada dormindo em guerra?


Namibiano Ferreira

In Resist(ir) Assim - Poesia a Doze
Editorial Minerva - 1999

NÉVOAS




Lobito - Restinga




Vão-se os gorjeios em dias
vazios de sons.
Sobre estas calçadas
frias de granito
não há nada que seja
tempo
som
vento
cheiro bom.
Tudo flui! Tudo é nada!
Só a voz longe-longe das quitandeiras
do Lobito
ressoam ao vento-pregão
percorrendo Caponte e Compão:
-Xi fèrreraaa, mariquitaaa...
enchendo o ar da saudade
de tempo-peixe
de tempo-cheiro
condensado em novelos de cacimbo,
névoa, nada e mais nada.





Namibiano Ferreira

Publicado nas Antologias:
In Resist(ir) Assim - Poesia a Doze
Editorial Minerva (2000)

In II Antologia de Poetas Lusófonos
Folheto Edicoes (2009)



Quitandeiras – vendedouras de peixe ou fruta.
Cacimbo – nevoeiro, tempo da estação seca.

11 de outubro de 2005

ADULTERANDO ÁLVARO DE CAMPOS


Jovem Mukubal





Uma mulher Mukubal e tao bela como a Vénus de Milo
o que há é pouca gente para dar por isso.
Depois de onze girassois florindo Novembro
ainda há pouca gente para dar por isso
e uma mulher Mukubal é mais bela que a Vénus de Milo.

ÓOOO - OOOOOOO - OOOOOOOOOOOOOOOO

(o vento no deserto.)



Namibiano Ferreira
In Resist(ir) Assim - Poesia a Doze
Editorial Minerva

9 de outubro de 2005

LITTLE DREAM





Esta noite sonhei a infancia-Tombwa
tombada em meu coração.
Meti a mão no bolso dos calções
Encontrei a xifuta
E no ar, misteriosamente,
Cheirava a peixe seco e óleo de dende.

E no bolso final
Do sonho
Foi que cantei este refrão:
Little dream
Little dream
Against the stream...


Namibiano Ferreira


Xifuta - fisga, bodoque.

ORÁCULO

Kimbo na Huíla.


 Além naquele mar de calemas
fica a terra sem mácula de Féti...



- Deixa Féti crescer
sobre a Rota do Sul.


- Deixa Féti florir
na picada vermelha.


- Deixa Féti trazer diamantes e pérolas
até que as balas sejam massambalas
até que as minas sejam mandiocas.

- Deixa Féti fecundar a Terra de Ngola
e Tchóia trazer o rio no riso dos dias
hoje e sempre-sempre
não há mácula ao sul do equador.


Nzambi falou e eu beijo meus dedos em cruz.








Féti - O Princípio, o primeiro homem na mitologia do centro de Angola.
Tchóia - A Perfeição, a primeira mulher na mitologia do centro de Angola.
Nzambi - Deus supremo, norte de Angola.




Namibiano Ferreira
In Resist(ir) Assim - Poesia a Doze
Editorial Minerva – 1999